Top designers: biografia e obra de Le Corbusier

Um dos mais importantes arquitetos do século XX, Charles-Edouard Jeanneret-Gris, mais conhecido pelo pseudônimo de Le Corbusier, chamou atenção por propôr obras práticas, que se adequassem à vida moderna, e por utilizar o concreto armado para executar seus projetos.

Nascido na Suíça em 1887, o arquiteto, urbanista, pintor, escultor e eterno viajante conheceu países da Europa, África, Ásia e Américas, mas foi naturalizado francês em 1930, mesmo ano em que se casou com Yvonne Gallis.

 

Le Corbusier

 

Sua história começa cedo. Formado em artes e ofícios, Le Corbusier realizou seu primeiro projeto com apenas 18 anos, e com 20, começou a fazer as viagens que lhe serviram como grande fonte de inspiração. Durante sua primeira andança pela Europa, se encanta com o uso da razão áurea nas construções italianas e passa a usar números harmônicos em seus projetos. Outra descoberta que faz durante esses três anos de aventuras, é o concreto armado, com o qual tem contato quando trabalha no escritório de Auguste Perret.

Em 1910,  ele se muda para a Alemanha a convite da escola de artes de La Chaux-de-Fond e começa a estudar sobre as artes decorativas do país, lançando seu primeiro livro, “Estudo sobre o movimento de arte decorativa na Alemanha”. Inquieto, depois de apenas um ano, decide viajar em companhia do historiador Auguste Klipstein, aventura que resulta no livro “Viagem ao Oriente”.

 

 

Após suas inspiradoras aventuras, o arquiteto finalmente se instala em Paris em 1917, onde abre seu primeiro escritório de arquitetura, começa realizar exposições de arte e deixa de ser Charles-Edouard Jeanneret-Gris para adotar o nome de Le Corbusier, em homenagem ao seu avô materno.

Mas é com a criação da revista L’Esprit Nouveau, feita em parceria com Amédée Ozenfant e Paul Dermée em 1919, que sua vida começa a mudar. A publicação não só trazia um alívio financeiro, como também ajudou a divulgar o trabalho de Le Corbusier, permitindo que as pessoas conhecessem seu trabalho, ainda que ele não tivesse muitas obras construídas. Foi nela, inclusive, que ele publicou os “Cinco Pontos da Nova Arquitetura”, resultados de suas pesquisas que servem como um guia para entender seu modo de pensar a arquitetura.

Sempre alternando entre projetos, palestras e viagens, ele participou da organização do primeiro Congresso Internacional de Arquitetura Moderna (CIAM), prestou consultoria nos projetos do Palácio Gustavo Capanema (Rio de Janeiro), na embaixada francesa de Brasília, e na criação do prédio sede das Nações Unidas, em Nova York.

Muito questionado por suas ideias práticas para moradias populares (que eram frequentemente rejeitadas), o arquiteto ganhou uma chance de colocar seus projetos em prática quando, ao final da 2ª Guerra Mundial, ajudou a reconstruir as cidades, podendo finalmente tirar do papel suas Unidade de Habitação, sendo a de Marselha a mais famosa.

Morto por afogamento em 1965 e enterrado em um túmulo projetado por ele mesmo, Le Corbusier mudou a história da arquitetura e foi reconhecido com diferentes títulos, como o de doutor honoris-causa pela Universidade de Cambridge.

 

Entenda os cinco elementos chave da arquitetura de Le Corbusier

1 – Planta Livre: técnica que faz com que as paredes percam a função estrutural e possam ser colocadas livremente.

2 – Fachada Livre: segue o mesmo conceito do elemento anterior.

3 – Pilotis: colocação de pilares que elevam o prédio e permitem a circulação em sua parte inferior.

4 – Terraço Jardim: aproveitamento e recuperação do solo perdido na construção a partir da  criação de um jardim no terraço.

5 – Janelas em Fita: criação de uma fachada coberta de janelas, de modo a aproveitar a luz solar e a ventilação.

By | 2017-06-20T17:08:55+00:00 junho 30th, 2017|ShopDesign|0 Comments

Leave A Comment